Imprimir esta página

Vereador Denilton Rocha questiona Secretaria de Educação

O vereador Denilton Rocha dos Santos (MDB), em sua fala na Tribuna Livre da 1ª Sessão Ordinária, questionou a resposta dada pela secretária de Educação, Marília Cardoso de Oliveira, ao Requerimento 333/2019, aprovado em novembro passado. O requerimento questionava o “Setor de Contabilidade” do município sobre estudo apontado pela própria secretária, como parte do processo do pagamento de equiparação salarial aos professores da rede pública municipal de Capivari.
Para explicar seus questionamentos, o vereador, em sua fala, que aconteceu na noite de segunda-feira, 3, no Palácio 10 de Julho, lembrou que no ano passado os vereadores aprovaram a extinção do Plano de Metas. Este se convertia em bônus para os professores da rede municipal, pagos sempre no mês de março. Rocha lembra ainda, que em reunião de Gestão Participativa, na qual participaram também os vereadores Bruno Barnabé (PSDB) e Flávio Carvalho (PSDB), presidente da Câmara Municipal, os professores concordaram com a equiparação salarial em substituição ao Plano de Metas, que por concordância da classe, acabou sendo extinto.
O vereador contou que analisando o orçamento municipal, constatou que a atual administração não teria dinheiro para fazer o pagamento da equiparação salarial aos professores de forma eficaz, mas que isso fora um compromisso assumido na reunião de Gestão Participativa perante a categoria. Por esse motivo fez questionamentos, por meio do Requerimento 295/2019. Nele, perguntava se os professores receberiam a equiparação salarial em 2020. Como resposta, tomou conhecimento que o assunto se encontrava em estudos no Setor de Contabilidade. Sendo assim, questionou o setor, mas recebeu resposta da própria secretária de educação de que em breve, o Projeto de Lei “estará disponível para apreciação”. “Minha dúvida é se a secretária já sabia da informação, afinal, o meu questionamento, que era para o Setor de Contabilidade, foi encaminhado e respondido pela secretária de Educação; porém o que me deixa alegre nesta resposta é que em breve o Projeto de Lei estará disponível para apreciação e eu espero que logo ele esteja aqui na Casa de Leis para apreciação dos vereadores”, afirmou. E completou: “Nós precisamos acelerar esse processo porque os professores irão sofrer prejuízo e peço ao setor que está elaborando o Projeto de Lei que o envie logo para a Casa de Leis”, finalizou.